domingo, 27 de novembro de 2016

playlist da semana

Warpaint - Billie Holiday

Gary Clark Jr - Bright Lights

Varsity - So Sad, So Sad

Al Green - Let's Stay Together 

Vangelis - Memories of Green

Bill Withers - Ain't No Sunshine

David Bowie - Space Oddity

John and The Volta - Paralized   

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Mamoeiros

Antes e depois (1 semana)
Eu joguei algumas sementes de mamão nesse vasinho e fiquei aguando. Não sei bem quanto tempo depois, mas eu acordei um belo dia com essas belezuras. Um dia depois nasceu mais uma e já dava pra ver a outra nascendo. Uma semana depois tava lindo.

Meus mamoeiros estão crescendo rapidinho.

Acho que é importante dizer que o pó de café funciona como um adubo. Então na hora de jogar o que sobrou do pó, deixe secar um pouco e coloque na plantinha. É possível fazer um adubo líquido colocando o pó em uma garrafa de 1 ou 2 litros e adicionar água. Regar dessa forma ajuda a plantinha.

Nesta postagem tem vários links que podem te ajudar a cuidar das plantinhas.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Apagão sem a luz da lua


Teve um apagão histórico no meu bairro que durou praticamente sete horas.
Eu estava fazendo tapioca na hora com meu computador ligado. Desliguei o computador e fiquei esperando. Daí o sol foi saindo e depois não tinha mais o que fazer. Eu não podia mais aspirar a casa, lavar a roupa e ficar na internet.
Acendemos algumas velas, comemos algumas coisas, fiquei dando uma olhada no meu caderno (vendo o que faltava fazer antes do fim do ano) e enfim.
Eu ia sair pra ver cinema por um real, mas é muito perigoso sair num apagão. Não fui. Academia não funcionou.
Veja quantas coisas que nos fazem depender de energia elétrica!
Fiquei brincando com o meu celular tirando algumas fotos em negativo.
Depois peguei a minha nikon e tirei algumas fotos da vela.
Nesse dia (14 de novembro) foi o mesmo da lua grande/brilhante enfim, mas estava nublado, chovendo de quando em vez e não deu pra ver lua nenhuma.
A luz voltou quase às 23h!
Ainda vou desenhar, pintar antes de ir dormir.
Mas fica comprovado que velas são românticas. Dançam conforme o vento moldando a cera com o calor.
Mosquitos é que não são românticos.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Galeto adulterado (receita)


Essa gororoba é a coisa mais gostosa que eu já fiz.
Faz sucesso e é 100% aprovado!
Transforme o galeto sem gosto em um frango saboroso e bem temperado.

Como faz:
Refogue 1 cebola inteira e 3 dentes de alho (ambos bem picadinhos).
Eu deixo a cebola passar um pouco do ponto, ficar mais fritinha. Gosto do alho bem fritinho também. Mas aí é gosto de cada um.
Depois adicione o galeto bem picado e misture.
[Quando tiver bem misturado, coloque molho inglês por cima de todo o frango e misture bem.] (opcional)
Quando tiver bem misturado, coloque mostarda por cima de todo o frango e misture bem.
Quando tiver bem misturado, coloque catchup por cima de todo o frango e misture bem.
Quando tiver bem misturado, coloque molho shoyu por cima de todo o frango e misture bem.
(O molho shoyu é o elemento chave para o nosso galeto adulterado, por isso eu coloco bastante).
Depois é só derramar um pouco de azeite, e voilà!

A amiga da minha mãe viu isso na mesa e pensou que fosse whiskas (sachê pra gato) e daí ficou o nome.
O pessoal já vem aqui perguntando do "whiskas".
Mas eu prefiro chamar de galeto adulterado.

sábado, 19 de novembro de 2016

Delirium - Carlos Patricio

As mazelas de nossa época


O livro começou pesado com Doutor Sádico e eu achei que ia ser assim o resto do livro. Mas não. E ainda bem que não. Porque Carlos levantou questões que acontecem ao nosso redor. As reações e suas conseqüências. Nunca paramos pra pensar o quão agonizante deve ser estarmos à mercê de um ladrão armado bêbado invadindo nossa casa, matando todo mundo. Matar a pessoa errada sem querer. Coisas que acontecem por aí.

“Telefone sem fio” mostra como uma simples história pode se transformar em um boato com a ajuda de pessoas que não tem nada a perder adicionando inverdades só pra ver o circo pegando fogo. Acontece diariamente.

Henrique é um personagem comum. Aquela pessoa que passa o dia jogando para escapar da realidade. Semelhante a isso, as redes sociais para o mesmo fim.

Guliver é outro personagem comum do nosso tempo. Com dificuldades de concentração, que se apaixona pela música mas infelizmente é pressionado a seguir a mesma carreira do pai. Tratado diferente de seu irmão mais novo (que se identifica mais com a profissão do pai), se torna um jovem revoltado, se sentindo injustiçado e sai de casa conhecendo as drogas.

Como uma ex-cristã, gostei muito da discussão sobre a religião. Poucas vezes eu li algo bem embasado.

Achei que a intenção de Carlos foi elucidar essas “mazelas”, vamos dizer assim, do nosso tempo. Acho que o livro é muito mais interessante para os jovens adolescentes, acho que esse é o público principal.


“Não sei se precisamos de psicólogos ou de uma razão pra viver”. É engraçado e estranho mas foi isso que refleti quando terminei de ler o livro, rs.

Gostei das várias citações. 

E essas ilustrações fizeram todo o diferencial. E a capa me lembrou “O Retrato” de Gogol.

PS.: Escrevi em 16/09/2016 para o skoob

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Voltei pro blog!

Reading in Bed  by Christopher Clark
Entonces fantasmas, aparentemente eu vou voltar a escrever no blog. Sei que ninguém lê, mas, de repente, me bateu aquela vontade de escrever algumas bobagens. Tive duas ideias e uma delas me fugiu.

Eu acho que sou bipolar.

Por enquanto eu só tenho postado na minha página do facebook. Não sei muito bem quanto tempo eu vou me dedicar ao blog, mas eu vou me organizar.

Faltou energia praticamente o dia todo no dia 14 de novembro, finalmente eu fiz meu bullet journal pra 2017, participei na produção de um evento sobre sustentabilidade, fiz cadernos para uma exposição e continuo com o meu curso de inglês.

Isso é tudo! @patylavir