quinta-feira, 19 de maio de 2011

Fotografia


Não tenho um conhecimento vasto sobre fotografia e nem seus fotógrafos. Muitas vezes passo horas na internet só vendo fotos tiradas por pessoas desconhecidas, umas famosas, outras realmente desconhecidas, e outras que são mais conhecidas entre o universo juvenil que fica mais preso na internet.
Eu gosto muito de apreciar uma foto, e quando por acaso gosto muito de uma, eu procuro saber a fonte, quando encontro, nas diversas vezes esses fotógrafos tem conta no Flickr, o que facilita muito pra mim porque é adicionar como contato que eu vou saber das atualizações daquele fotógrafo. Ou mesmo vejo todas as outras fotos pra ver se realmente gosto do "olho do fotógrafo".
Não procuro muito por nomes porque sei que não vou gravar na minha memória, mas acho até interessante. Muitas vezes esses fotógrafos renomados tem um interesse único, ou um tema único. Meu colega, Davi, por mais que ele não seja um fotógrafo renomado, o seu tema é "nudez", mas muitos fotógrafos amadores não tem um "tema" específico e sim uma preferência, assim como eu tenho uma certa preferência.
O meu pai, Alector, ele gosta de realismo e, como convivo e sou eu quem escaneio, às vezes, as fotos antigas dele, eu sei muito bem o quanto ele é perfeccionista, remexendo no Photoshop. Fui eu quem criei o Flickr do meu pai, justamente pra não misturar com as minhas fotos na mesma conta, e advinha.... coloquei as fotos mais descuidadas que foram tiradas pela câmera da minha mãe que não tinha uma lente tão boa quanto a do meu pai. Quando eu disse realismo, o que eu quis dizer é da foto parecer com o que seus olhos estão vendo. Já eu, muito diferente do meu pai, gosto da foto mais desgastada, mais antiga, mais modificada com flashs coloridos, fotos tiradas de uma câmera barata com lente de plástico. Ou seja, eu gosto do estilo lomográfico, que vai totalmente contra as regras da fotografia. Tudo bem que eu não consigo ir totalmente contra as regras, mas também não sou perfeccionista, gosto de cores vibrantes, de contraste, sei lá :P
Hoje eu vi algumas fotos do fotógrafo Henri Cartier Bresson, eu não sei nada sobre ele, mas gostei muito de duas fotografias, vou colocar as duas que eu mais gostei.

domingo, 15 de maio de 2011

Tempo




Marcando os momentos que formam um dia monótono
Você desperdiça e perde as horas de uma maneira descontrolada
Perambulando num pedaço de terra na sua cidade natal
Esperando alguém ou algo que venha mostrar-lhe o caminho

Cansado de deitar-se na luz do sol, ficar em casa observando a chuva
Você é jovem e a vida é longa e há tempo para matar hoje
E depois, um dia você descobrirá que dez anos ficaram para trás
Ninguém te disse quando correr, você perdeu o tiro de partida

E você corre e corre para alcançar o sol mas ele está indo embora no horizonte
E girando ao redor da Terra para se levantar atrás de você outra vez
O sol é o mesmo, de uma forma relativa mas você está mais velho
Com pouco fôlego e um dia mais próximo da morte

Cada ano está ficando mais curto, você parece nunca ter tempo.
Planos que ou dão em nada, ou em meia página de linhas rabiscadas
Aguentando um desespero quieto é o jeito inglês
O tempo se foi, a canção terminou, pensei que tivesse algo mais a dizer

Em casa, em casa novamente,
Eu gosto de estar aqui quando posso
Quando eu chego em casa com frio e cansado,
É bom esquentar meus ossos ao lado do fogo
Muito longe, atravessando o campo
O badalar do sino de ferro
Convoca os fiéis a se ajoelharem
Para ouvir feitiços em voz suave.