quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Os poetas místicos são filósofos doentes,

E os filósofos são homens doidos.
Porque os poetas místicos dizem que as flores sentem
E dizem que as pedras têm alma
E que os rios têm êxtases ao luar.

Mas as flores, se sentissem, não eram flores,
Eram gente;
E se as pedras tivessem alma, eram coisas vivas, não eram pedras;
E se os rios tivessem êxtases ao luar,
Os rios seriam homens doentes.

- ALBERTO CAEIRO

sábado, 16 de outubro de 2010

Só para loucos, só para raros

Ainda lendo o livro (O Lobo da Estepe), fascinada e também intrigada.
Vi alguns comentários de quem leu o livro, inclusive do meu pai. Observei que todos se viram dentro de Harry. Confesso que eu me identifiquei inteiramente com o personagem. A idéia de suicídio, o niilismo, a perda do sentido da vida, filósofo vagabundo.
É..., mas será que todos iriam se identificar com o personagem?
Se somos múltiplos, e não metade homem metade animal, nos identificaríamos com o Harry, todos nós.
Sim, todos nós. Mesmo àqueles que estão presos nas macetas da alienação, deve se perguntar, se questionar pelo menos uma vez, de onde surgiu tanto fanatismo, o por quê de ser quem é.
Hoje em dia se busca muito a perfeição em relação à tudo, mas não existe perfeição. Sim, não existe. Todos queremos ser da melhor maneira possível, mas isso depende de onde você vai buscar e tirar os instrumentos. Se somos perfeitos, ou buscamos, somos diferentes um do outro, o que é perfeição pra mim é isso, o que é perfeição pra você é aquilo. Buscamos coisas diferentes, mas sempre estamos em busca, nunca chegaremos à perfeição, porque não somos todos, quer dizer, somos todos, mas nos prendemos a um ou dois, então nunca seremos completos, por isso nunca seremos perfeitos.
O que nos aflinge a alma?
Sim, eu e muitas pessoas odeiam a sociedade e viver nela é um desafio. Daí você se sente cansado, vivendo em seu mundinho obscuro, se autodestruindo com cigarros e bebidas perambulando sem saber o que fazer, perdido num Planeta totalmente diferente daquilo que idealizamos.
O que seria a solução?
Aprender a viver em sociedade? Tá, a partir daí você usa sua outra personalidade, já que somos múltiplos, temos várias almas pra utilizar. Aprendi, desfrutei, participei daquilo que era "normal" e me matei. Voltei a ser o que era antes, ops, voltei à minha alma antiga.Agora vamos deixar de intelectualismo. Vamos voltar a ser inocente, criança outra vez. Vamos rir do humor onde não há humor, vamos gargalhar e depois puxar o gatilho e... matei a criança dentro de mim outra vez. Matei minha alma inocente desta vez.E agora?
Solidão. Não há o que fazer, não há o que mudar, não há solução pro Lobo da Estepe.
Se sou uma, aprendo a viver com ele, da melhor forma possível. Mas sei que matando minha multiplicidade não resolve, porque minha imortalidade depende desses momentos, desses pequenos e raros momentos em que consigo sentir prazer e desejo.
Pois será mesmo que essa personalidade é só para os raros e loucos?
[contém vídeo, clique na foto]

domingo, 12 de setembro de 2010

[Trecho de livro]

"Mas hoje me debati nas águas durante muito tempo, estou fraca, estou fatigada de me contar coisas, hoje quero relaxar, capitular, explorar os prazeres do afogamento, sentir o corpo a deslizar para fora de mim e outro a entrar, membros dentro de membros, uma boca dentro da minha boca. Dou à morte as boas-vindas como a uma versão da vida na qual não serei eu mesmo."

No coração do país - Coetzee

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Celebridade e barbárie

Última matéria do Francisco Bosco na Revista CULT, edição número 147. Clique aqui.

Site da Revista CULT aqui.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Atemporal


Um vento
Sem documento
Cruzou a direção
Não pediu licença
Tampouco permissão
Soprava intrépido
Como ciclone ruído
Devora tempo iso
Arrastava imensidão
Este ar desconhecido
Corrói até juízo
Ilustrando seu gemido
Degenerou o siso
Obra pura da criação!

Ângelo Lima

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Letra e Tradução de Decades do Joy Division


Decades

Here are the young men, a weight on their shoulders
Here are the young men, well, where have they been?
We knocked on doors of hell's darker chambers
Pushed to the limits, we dragged ourselves in

Watched from the wings as the scenes were replaying
We saw ourselves now as we never had seen
Portrayal of the traumas and degeneration
The sorrows we suffered and never were freed

Where have they been?
Where have they been?
Where have they been?
Where have they been?

Weary inside, now our hearts lost forever
Can't replace the fear or the thrill of the chase
These rituals showed up the door for our wanderings
Opened and shut, then slammed in our face

Where have they been?
Where have they been?
Where have they been?
Where have they been?

Degeneração

Aqui estão os jovens, um peso em seus ombros
Aqui estão os jovens, bem, onde estiveram?
Batemos nas portas das salas mais sombrias do inferno
Levados aos limites, nos arrastamos para dentro

Observávamos das asas enquanto as cenas se repetiam
Nos vimos agora como nunca tínhamos visto
Retrato dos traumas e degeneração
As mágoas que sofremos e nunca fomos libertados

Onde estiveram?
Onde estiveram?
Onde estiveram?
Onde estiveram?

Cansados por dentro, agora nossos corações perdidos para sempre
Não podemos nos recompor do medo ou da ânsia da perseguição
Estes rituais nos mostraram a porta para nossas caminhadas sem rumo
Aberta e fechada, e então batida na nossa cara

Onde estiveram?
Onde estiveram?
Onde estiveram?
Onde estiveram?

domingo, 8 de agosto de 2010

O Nosso Livro - Florbela Espanca

Livro do meu amor, do teu amor,
Livro do nosso amor, do nosso peito…
Abre-lhe as folhas devagar, com jeito,
Como se fossem pétalas de flor.

Olha que eu outro já não sei compor
Mais santamente triste, mais perfeito
Não esfolhes os lírios com que é feito
Que outros não tenho em meu jardim de dor!

Livro de mais ninguém! Só meu! Só teu!
Num sorriso tu dizes e digo eu:
Versos só nossos mas que lindos sois!

Ah, meu Amor! Mas quanta, quanta gente
Dirá, fechando o livro docemente:
“Versos só nossos, só de nós os dois!…”

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Hole - Credit In The Straight World [tradução]

E eu acordarei
Vossa alteza, estou tão erguida que não consigo andar
E eu acordarei
Seu aleijado, você toma meu tempo, minha paz, minha empatia
Nenhum bebê dorme atrofiado
Seu amor não e nascido e estresse fetal
Meu carinho amargo de destino doce
Busque crédito no mundo careta
Olhe o parceiro no olho
Busque crédito no mundo real, você não vai tentar?
Tenho algum crédito no mundo careta
Perdi uma perna, perdi um olho
Busque crédito no mundo real, você morrerá
É o crédito no mundo careta
Deixe seu dinheiro quando morrer
Muito crédito no mundo careta te deixa doido
Tenho algum crédito no mundo careta
Perdi uma perna, perdi um olho
Busque crédito no mundo real, você morrerá

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Sabe o que é?


tou me cansando da vida...
o amanhecer tá se tornando vulgar
e o amor? nem acredito mais
ando por ai bebendo e bebendo
sem muito ter o que fazer
sem muitas escolhas
sem muitos sonhos e desejos
estou vazia, seca

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Tradução Twenty Four Hours de Joy Division


Então é isso, a permanência - orgulho estraçalhado pelo amor
E aquilo que uma vez foi inocência, virado e deitado de lado
Uma nuvem suspensa sobre mim marca cada momento
No fundo da memória, aquilo que uma vez foi amor

Oh, como acabei por perceber, como eu queria tempo
Colocado em perspectiva, tão difícil de encontrar, eu tentei
Só por um instante, pensei ter encontrado meu caminho
O destino desdobrado - foi o que vi escorrer do meu alcance

Pontos de luz em excesso, além de todo o alcance
Exigências solitárias por tudo que eu gostaria de guardar

Vamos dar um passeio fora daqui, ver o que encontramos
Coleção sem nenhum valor de esperanças e desejos passados

Nunca imaginei as distâncias que teria que percorrer
Todos os cantos mais escuros de um sentido que desconhecia
Só por um instante, ouvi alguém chamar
Olhei para além do dia, que jazia em minha mão
Não há absolutamente nada por lá...

Agora que percebi como tudo saiu errado
Tenho de achar alguma terapia, este tratamento é muito prolongado
No fundo do coração do lugar onde a simpatia reinava
Tenho de encontrar meu destino, antes que seja tarde demais...

quarta-feira, 23 de junho de 2010

William Shakespeare

"Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes, não são promessas. E comeca a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... E aceita que não importa quao boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que leva-se anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá pelo resto da vida.

Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem da vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.

Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam, percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa - por isso, sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a ultima vez que as vejamos.

Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.

Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve.

Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências.

Aprende que paciência requer muita prática. Descobre que algumas vezes, a pessoa que você espera que o chute quando você cai, é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas, do que com quantos aniversários você celebrou.

Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.

Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.

Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo.

Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado.

Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte.

Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás. Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.

E você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!"

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Exercise One - Joy Division

Quando você olha a vida
Quando você é um estranho em seu quarto
logo, talvez se afogando
seria o início de tudo?
você liga sua TV
abaixa o volume de seu fone de ouvido
dá as costas a isso tudo
isso tudo está ficando demais

quando você está olhando a vida
decifrando cicatrizes
grupo tenso, todos aqueles
que se sentam imóveis em seus carros
as luzes parecem intensas
quando você alcança o lado de fora
hora de um último passeio
antes do fim de tudo

(Exercise One - Joy Division)

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Gmork (lobisomem para Atreiú)

- Tinham perdido a esperança. Isso torna as pessoas fracas. O Nada as atrai irresistivelmente e nenhuma delas consegue resistir durante muito tempo.

- Quando entram no Nada (habitantes de Fantasia), ele se apodera de vocês. Passam a ser como uma doença contagiosa, que cega os homens, tornando-os incapazes de distinguir entre aparência e a realidade. Sabe o nome que eles dão a vocês? Mentiras!

- Você me pergunta como vai ser lá nesse mundo? Mas o que é você aqui? Que são todos vocês, seres de Fantasia? Figuras de sonho, invenções do reino da poesia, personagens de uma História Sem Fim! Você se julga real, filhinho? Pois bem, aqui, neste mundo, você é. Mas, se entrar no Nada, deixa de existir. Você se tornará irreconhecível. Passará a existir num outro mundo. Nesse mundo, vocês deixam de ser aquilo que eram. Levam ao mundo dos homens a cegueira e a ilusão. Sabe o que aconteceu a todos os habitantes da Cidade-Fantasma que se lançaram no Nada, filhinho? Transformaram-se em desvarios da mente humana, em imagens geradas pelo medo, quando, na realidade, não há nada a temer, em desejo de coisas que os tornam doentes, em idéias de desespero quando há razões para desesperar.

- É por isso que os homens temem e odeiam Fantasia e tudo o que dela vem. Querem aniquilá-la. Mas não sabem que, ao fazê-lo, aumentam a torrente de mentiras que cai ininterruptamente em seu mundo... essa torrente de seres desfigurados, tão diferentes do que eram em Fantasia, e que são obrigados a levar, no mundo dos homens, uma existência de cadáveres vivos, envenenando a alma dos homens com seu odor putrefato. Os homens nao sabem disso. Não é divertido?
Vocês têm poder sobre eles. E nada tem mais poder sobre o homem do que a mentira. Porque os homens vivem de idéias. E as idéias podem ser dirigidas. Esse poder é o único que conta. É possível que, com sua ajuda, se possam convencer os homens a comprar o que não necessitam, a odiar o que não conhecem, a acreditar no que os domina ou a duvidar do que os podia salvar. Por seu intermédio, pequenos seres de Fantasia, fazem-se grandes negocios no mundo dos homens, desencandeiam-se guerras, fundam-se impérios... Há também uma quantidade de pobres tontos que, naturalmente, se julggam muito inteligentes e pensam servir à verdade, e não encontram nada de melhor para fazer do que dissuadir as crianças da existência de Fantasia.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Ninguém

- E você... quem é você?, perguntou.
Atreiú refletiu durante um momento, antes de responder:
- Sou ninguém
- O que quer dizer isso?
- Quer dizer que outrora tive um nome. Mas esse nome nunca mais deve ser dito. Por isso sou Ninguém.
O lobisomem arreganhou um pouco os beiços e mostrou os terríveis dentes no que parecia ser um sorriso. Era especialista em toda espécie de desesperos da alma e sentia que, de algum modo, estava diante de alguém muito parecido.
- Se assim é, disse ele em voz rouca, então Ninguém me ouviu, Ninguém veio até junto de mim e Ninguém está falando comigo em minha última hora.
Atreiú voltou a assentir com um aceno de cabeça. Depois perguntou:
- E não poderia Ninguém livrá-lo dessa corrente?

(trecho de A História Sem Fim - michael ende)

domingo, 16 de maio de 2010

chuva


isso de ficar vendo a chuva
isso de tomar banho de chuva
e nunca usar o guarda-chuva

isso de pensar em nada
e a chuva passa
isso de ficar olhando
as gotículas de água

porque em algum momento
eu não estou mais ali
estou entre as gotas
e um dia irei desaparecer
que nem elas

aquele frio que toma conta
aquele abraço que te consola
e assim te arrepia
são as gotas de chuva
banhando o prazer da vida

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Desenho

No meu mundo individual
Não existe regras
Meus desenhos feios
É arte no papel
De caneta
De lápis
Olhos marcantes
Narizes errados
Cabelos assanhados
Grande pequeno
Não importa a dimensão
O que importa
É o movimento da mão 
É aquilo que sai na mente
Mesmo não ciente
Aquele ar de preocupação
Aquele ar de perfeição
Aquele ar de beleza escondida
E há quem diga
Ser forte, ser leve e bonita

Before I Sleep

sábado, 3 de abril de 2010

Acabou

"Meu corpo não fortalece, cada vez me sinto mais fraca. Enquanto a vida passava, e as coisas mal aconteciam, eu estava lá dentro, do meu quarto sofrendo, talvez sofrendo por nada ou sofrendo por tudo aquilo que não achava, aquilo que eu não recebia e precisava.
Se o que eu sentia era ilusão, agora acabou."

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Quem ama cuida

"Uma das frases, uma das coisas que devem ser preservadas e bem cuidadas é a pessoa que você ama "quem ama cuida", quem ama trata a pessoa da melhor forma, quer ficar junto e quer observar você, não te ignora, te abraça de graça e te beija independente de qualquer coisa. Se isso não acontece não é amor, é apenas um momento. Eu amei mais, mas não foi o suficiente, todos os meus sacrifícios, loucuras, não foram o suficiente, talvez não tenha recebido de volta o que deveria ter recebido, ou não estou a altura, preciso diminuir. Lamentando por ter sido tanto e não pouco, e você pouco e não tanto."

quinta-feira, 18 de março de 2010

Cartas a um jovem poeta

“(…) No fundo, e justamente quanto aos assuntos mais profundos e importantes, estamos indizivelmente sozinhos, de modo que muita coisa precisa acontecer para que um de nós seja capaz de aconselhar ou mesmo ajudar o outro, muitos êxitos são necessários, toda uma constelação de acontecimentos têm que se alinhar para que isso dê certo alguma vez.”

quarta-feira, 17 de março de 2010

"O desespero é para aqueles que enxergam o fim como fato consumado" - Gandalf

Amor que morre

O nosso amor morreu... 
Quem o diria! 
Quem o pensara mesmo ao ver-me tonta, 
Ceguinha de te ver, sem ver a conta 
Do tempo que passava, que fugia! 

Bem estava a sentir que ele morria... 
E outro clarão, ao longe, já desponta! 
Um engano que morre... e logo aponta 
A luz doutra miragem fugidia... 

Eu bem sei, meu Amor, que pra viver 
São precisos amores, pra morrer, 
E são precisos sonhos para partir. 

E bem sei, meu Amor, que era preciso 
Fazer do amor que parte o claro riso 
De outro amor impossível que há-de vir! 
                            Florbela Espanca

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Senhor dos Anéis

Depois de anos eu decidi ler o livro que era do meu irmão. Nele tem a trilogia completa (A Sociedade do Anel, As Duas Torres e O Retorno do Rei). Ainda estou no primeiro - A Sociedade do Anel e o livro é muito gostoso de ler a ponto de você passar o dia inteiro lendo.

É gostoso ler a descrição das paisagens e do canto e voz dos elfos. Com descrição das estações do ano, você se imagina por dentro da história no verão, no outono lindo, no inverno e na primavera, é um paraíso ler. Nunca me senti tão dentro da história assim.
Fora as canções do velho Bilbo entre outras canções de harmonia.

As melhores falas são a do Gandalf, apesar de gostar muito de cada personagem, sendo ele bom ou mau.

"O desespero é para aqueles que enxergam o fim como fato consumado"
- Gandalf

Eu fico com uma folha do lado enquanto estou lendo. Tem umas partes e algumas frases que me chamam atenção, então escrevo.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Descrevendo sonho a um amigo

"Acordei ofegante e o sonho parecia um pesadelo, eu sonhava com os mesmos personagens, com os mesmos gestos e risadas em lugares diferentes. Cada sonho parecia um episódio. No sonho, eu sou alguém com um dom de ver e escutar os fantasmas, são pessoas reais, minha mãe, meu irmão, fizeram parte também (isso é extremamente raro). Os fantasmas brilhavam azul-transparente, não sei de que século eles eram, mas vinham de carruagens e usavam trajes antigos de bailes, bebiam e davam gargalhadas, eram super divertidos
Lembro apenas de algumas partes, primeiro eu estava em uma salão (semelhante a do salão de jogos do ASFIPE em gaibu), tava muito agitado e eu precisava de um lugar tranquilo, minha casa ficava um pouco distante, a estrada era um pouco longa. Era noite e tava escuro, quase não se via poste. Fui correndo para casa, e foi no quintal que vi o baile dos fantasmas, saí dali e fui pra outro cômodo, aconteceu algo que não lembro. 
De repente estou eu com minha mãe, conversando com mais alguém, eu escuto aquelas mesmas risadas vindo do elevador, quanto mais se aproximava, mais eu conseguia escutar, mas apenas eu conseguia escutar. Lembrei (em tempo real) que o elevador estava quebrado e só seria consertado no dia 05/02 e estávamos no dia 03/02. Me assutei (não sei por que) e me acordei.
Aí chamei: "mãe, mãe, mãe". E ela achava que eu ainda estava dormindo. Depois disse: "mãe, vem cá". Ela veio e eu segurei a mão dela, eu estava ofegante, mas minha mãe estava indiferente, e parecia estar muito ocupada, ela queria que eu soltasse ela, e percebendo a rejeição dela, eu fiquei com raiva e joguei o braço. Procurei um lugar pra ficar sozinha, mas meu quarto estava ocupado por meu irmão. De primeira hesitei em entrar no quarto da minha mãe, mas entrei porque minha vontade era maior. Fechei a porta e deitei lembrando do sonho e chorei pela rejeição dela."

Eu achei interessante, porque há sonhos que mudam um pouco meu pensamento, abre mais os meus olhos. Ter tido esse sonho e em seguida desdobramento foi pra mim algo muito diferente na minha vida. Nem me pergunte por quê.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Niilismo



Como eu parei de escrever, eu vou fazer um post tirado do Wikipédia.
Não que eu tenha parado de escrever, eu não vejo mais prazer, gosto em mais nada. Nem em escrever, nem em fotografar, nem em comida, enfim, tá foda.
Comecei a escrever um livrinho, alguns momentos marcantes, porque eu tenho uma memória péssima, e como a minha vida não é muito prazerosa, eu escrevo pra quando quiser recordar, ler.

Seria mais fácil mandar o link do site. Mas assim fica uma coisa meio preguiçosa, coisa de blogueiro folgado.
Vou colocar aqui um resumo grande sobre Niilismo.

Niilismo é a desvalorização de pensamentos positivos, é a descrença. A origem da palavra é "nada" e niilismo pode ser traduzida como "nadismo".
Essa corrente filosófica é negativista, só conseguimos entendê-la quando tivermos consciência do que ela nega.

O niilismo pode ser considerado como "um movimento positivo” – quando pela crítica e pelo desmascaramento nos revela a abissal ausência de cada fundamento, verdade, critério absoluto e universal e, portanto, convoca-nos diante da nossa própria liberdade e responsabilidade, agora não mais garantidas, nem sufocadas ou controladas por nada". Mas também pode ser considerado como "um movimento negativo” – quando nesta dinâmica prevalecem os traços destruidores e iconoclastas, como os do declínio, do ressentimento, da incapacidade de avançar, da paralisia, do “tudo-vale” e do perigoso silogismo ilustrado pela frase do personagem de Dostoiévski: "Se Deus está morto, então tudo é permitido". Entende-se por Deus neste ponto como a verdade e o princípio.



Concepção Nietzscheana de Niilismo

Niilismo passivo - Segundo Nietzsche, o niilismo passivo, ou niilismo incompleto, podia ser considerado uma evolução do indivíduo, mas jamais uma transvaloração de valores. Através do anarquismo ou socialismo compreende-se um avanço; porém, os valores demolidos darão lugar para novos valores. É a negação do desperdício da força vital na esperança vã de uma recompensa ou de um sentido para a vida; opondo-se frontalmente a autores socráticos e, obviamente, à moral cristã, nega que a vida deva ser regida por qualquer tipo de padrão moral tendo em vista um mundo superior, pois isso faz com que o homem minta a si próprio, falsifique-se, enquanto vive a vida fixado numa mentira. Assim no niilismo não se promove a criação de qualquer tipo de valores, já que ela é considerada uma atitude negativa.

Niilismo ativo - ou niilismo-completo, é onde Nietzsche se coloca, considerando-se o primeiro niilista de fato, intitulando-se o niilista-clássico, prevendo o desenvolvimento e discussão de seu legado. Este segundo sentido segue o mesmo rumo, mas propõe uma atitude mais ativa: renegando os valores metafísicos, redireciona a sua força vital para a destruição da moral. No entanto, após essa destruição, tudo cai no vazio: a vida é desprovida de qualquer sentido, reina o absurdo e o niilista não pode ver outra alternativa senão esperar pela morte (ou provocá-la). No entanto, esse final não é, para Nietzsche, o fim último do niilismo: no momento em que o homem nega os valores de Deus, deve aprender a ver-se como criador de valores e no momento em que entende que não há nada de eterno após a vida, deve aprender a ver a vida como um eterno retorno: sem isto, o niilismo será sempre um ciclo incompleto...
Tem uma página enorme falando sobre Niilismo, eu só li o comecinho, o site é ateus.net e o resto eu copiei do Wikipédia.
Só pesquisei em dois sites porque sou preguiçosa e quero ler o resto do especial Beatles da revista Bravo!. Também preciso terminar de ler Senhor dos Anéis e Mundo Sem Fim.
* em um blog achei essas charges do Benett. (Se não der pra ver, clique em cima delas)

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Big Brother - David Bowie (tradução)

Grande Irmão

Não fale de pó e rosas
Ou deveríamos pulverizar nossos narizes?
Não viva para as safadezas dos últimos anos
Me dê aço, me dê aço, me dê pulsares irreais


Ele construirá um asilo de vidro
Somente com um indício de desordem
Ele construirá um redemoinho melhor
Nós viveremos de pecados, então poderemos realmente começar


Por favor, salvador, salvador, mostre-nos
Escute-me, eu sou todo seu


Alguém para reivindicarmos, alguém para seguir
Alguém para nos envergonhar, algum bravo Apollo
Alguém para nos enganar, alguém como você
Nós te queremos Grande Irmão, Grande Irmão

Eu sei que você pensa que é um quadrado nojento
Mas você nos fez e tem estado em todos os lugares
Senhor, eu teria uma overdose se você soubesse o que está acontecendo

Nós te queremos Grande Irmão

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Exercise One - Joy Division (tradução)

Exercício Um

Quando você olha a vida
Quando você é um estranho em seu quarto
logo, talvez se afogando
seria o início de tudo?
você liga sua TV
abaixa o volume de seu fone de ouvido
dá as costas a isso tudo
isso tudo está ficando demais
quando você está olhando a vida
decifrando cicatrizes
grupo tenso, todos aqueles
que se sentam imóveis em seus carros
as luzes parecem intensas
quando você alcança o lado de fora
hora de um último passeio
antes do fim de tudo.