domingo, 6 de dezembro de 2009

And I cry

"Chorar por uma pessoa que está morta não é tão triste quanto chorar por uma uma pessoa que ainda vive mas que a perdemos para sempre".

sábado, 21 de novembro de 2009

Ismália

Quando Ismália enlouqueceu,
Pôs-me na torre a sonhar...
Viu uma lua no céu,
Viu outra no mar.
No sonho em que se perdeu,
Banhou-se toda em luar...
Queria subir ao céu,
Queria descer ao mar...
E, no desvario seu,
Na torre pôs-se a cantar...
Estava perto do céu,
Estava longe do mar...

E como um anjo pendeu
As asas para voar...
Queria dar a lua do céu,
Queria a lua do mar...
As asas que Deus lhe deu
Ruflaram de par em par...
Sua alma subiu ao céu.
Seu corpo desceu ao mar...

Alphonsus Guimaraens

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Morgue

Estão prontos, ali, como a esperar
que um gesto só, ainda que tardio,
possa reconciliar com tanto frio
os corpos e um ao outro harmonizar;
como se algo faltasse para o fim.
Que nome no seu bolso já vazio
há por achar? Alguém procura, enfim,
enxugar dos seus lábios o fastio:
em vão; eles só ficam mais polidos.
A barba está mais dura, todavia
ficou mais limpa ao toque do vigia,
para não repugnar o circunstante.
Os olhos, sob a pálpebra, invertidos,
olham só para dentro, doravante.

sábado, 17 de outubro de 2009

O anjo

Com um mover da fronte ele descarta
tudo o que obriga, tudo o que coarta,
pois em seu coração, quando ela o adentra,
a eterna Vinda os círculos concentra.
O céu com muitas formas Ihe aparece
e cada qual demanda: vem, conhece -.
Não dês às suas mãos ligeiras nem um só fardo; pois ele, à noite, vem
à tua casa conferir teu peso,
cheio de ira, e com a mão mais dura,
como se fosses sua criatura,
te arranca do teu molde com desprezo.

Rainer Maria Rilke



domingo, 27 de setembro de 2009

Ele e a Natureza


Quando o olhar dele bate nas árvores, ah, os pássaros cantam uma canção.
Quando os raios se escondem, meus olhos descansam.
Quando ele vê ondas inquietas, observo seu silêncio.
Quando enxergo profundo teu olhar, ah, vejo flores inexistentes.
Quando a pausa dos carros é longa, ele observa o mundo numa visão diferente.
Quando o carro passa rápido com paisagens maravilhosas, ele esquece o mundo.
Quando ele me esquece, sinto-me abandonada.
Quando falo coisas sem pensar, ele se encontra fora do comum.
Não consigo ver um lugar tão maravilhoso como este. Ele parece ser o lugar que eu consigo me perder e ao mesmo tempo me achar.
Aaah, meu coração bate mas nem sinto, só ouço o som dele. Esqueço até do mundo e vejo um mundo totalmente diferente.
Mesmo num lugar onde caos acontecem, posso ver um lugar de campos e árvores com sombras exageradas e pássaros amigos que não tem medos.
Ele é mesmo um paraíso!

domingo, 20 de setembro de 2009

O ESPETÁCULO DA VIDA

Que você seja um grande empreendedor. Quando empreender, não tenha medo de falhar. Quando falhar, não tenha receio de chorar. Quando chorar, repense a sua vida, mas não recue. Dê sempre uma nova chance para si mesmo.

Encontre um oásis em seu deserto. Os perdedores vêem os raios. Os vencedores vêem a chuva e a oportunidade de cultivar. Os perdedores paralisam-se diante das perdas e dos fracassos. Os vencedores começam tudo de novo.

Saiba que o maior carrasco do ser humano é ele mesmo. Não seja escravo dos seus pensamentos negativos. Liberte-se da pior prisão do mundo: o cárcere da emoção. O destino raramente é inevitável, mas sim uma escolha. Escolha ser um ser humano consciente, livre e inteligente.

Sua vida é mais importante do que todo o ouro do mundo. Mais bela que as estrelas: obra-prima do Autor da vida. Apesar dos seus defeitos, você não é um número na multidão. Ninguém é igual a você no palco da vida. Você é um ser humano insubstituível.

Jamais desista das pessoas que ama. Jamais desista de ser feliz. Lute sempre pelos seus sonhos. Seja profundamente apaixonado pela vida. Pois a vida é um espetáculo imperdível.

Augusto Cury

sábado, 12 de setembro de 2009

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Lamento

"Oh, como é tudo antigo
e tão distante!

A estrela que sigo
a brilhar, eu creio, neste instante
há milênios é morta.
Se um batel corta
as águas, eu creio
ouvir-lhe algo dito a medo.
Algures bate
um carrilhão...
Em qual mansão?
Ausente do meu coração
quisera eu sob o céu vagar.

Eu quisera rezar:
e uma, entre todas as estrelas,
ainda realmente viveria,
e eu saberia
qual dentre elas,
branca e tranquila
como uma pequenina vila,
lá onde começa a luz, nos céus, resistiria..."

Rainer Maria Rilke

sábado, 29 de agosto de 2009

Medo

Eu odeio isso tudo,
Eu pensei que tivesse me vencido
Mas eu ganhei,
Eu mesma me venci.

Meu maior medo é perder meu conceito
Ou aceitar o que sou
Ou quem não sou.

Tenho medo de medos,
Tenho amigos que não se encaixam
Mas de qualquer forma
Eu preciso deles e eles de mim.

Eu sinto falta de alguém,
Não pra amar
Mas pra me amar

Eu tenho medo de obsessão,
Obsessão não é amor,
Eu tenho medo de amor
Eu tenho medo de não tê-lo
E já não tenho.

Viver poderia ser apenas
Uma escolha,
Que eu pudesse me livrar da vida
De um modo que a morte
Fosse minha escolha.

sábado, 22 de agosto de 2009

Liberdade de escolha



"Existem todas as possibilidades, a mais absoluta liberdade de escolha. Como em um livro, onde cada letra permanece para sempre na página, mas o que muda é a própria consciência que escolhe o que ler e o que deixar de lado."

Richard Bach

quarta-feira, 29 de julho de 2009

A Beautiful Day


O jacaré minha mãe colocou faz um bom tempo pendurado na grade da janela, até hoje não caiu.
Uma vez eu vi uma coruja, isso mesmo, uma coruja em plena manhã na minha janela. Associei isso com o jacaré, que talvez ela achasse que fosse uma comida, sei lá.
Mas minha mãe diz que faz tempo que a coruja aparece na minha janela, há uns anos atrás, mas eu nunca soube.



É muito bom você ver o sol nascer, deixar de dormir pra ver isso, é muito relaxante.
Eu tenho muito que agradecer, porque a vista que eu tenho da minha casa é linda. Eu sei que é muito ruim morar longe da cidade, afinal, todo dia é gasto de gasolina, mas ver a paisagem linda sempre, não tem preço.


Essa sou eu, nos dias em que eu era a única que acordava cedo.
Dá pra notar que é o reflexo do janelão do apartamento. Tá vendo as nuvens? Que lindo não?

Essa foto foi tirada pelo meu pai com uma máquina digital mesmo (pebinha), mas ele sabe fotografar, meu pai, digamos, é um fotógrafo frustrado, mas continua dando umas clicadas!

domingo, 7 de junho de 2009

Paraíso


"Era um dia lindo pra flutuar nas alturas e meu espírito estava por toda parte"

Fora De Mim de Richard Bach

terça-feira, 12 de maio de 2009

Sugestão

Sede assim — qualquer coisa
serena, isenta, fiel.

Flor que se cumpre,
sem pergunta.

Onda que se esforça,
por exercício desinteressado.

Lua que envolve igualmente
os noivos abraçado
se os soldados já frios.

Também como este ar da noite:
sussurrante de silêncios,
cheio de nascimentos e pétalas.

Igual à pedra detida,
sustentando seu demorado destino.
E à nuvem, leve e bela,
vivendo de nunca chegar a ser.

À cigarra, queimando-se em música,
ao camelo que mastiga sua longa solidão,
ao pássaro que procura o fim do mundo,
ao boi que vai com inocência para a morte.

Sede assim qualquer coisa
serena, isenta, fiel.

Não como o resto dos homens.

Poema de Cecília Meireles

quinta-feira, 30 de abril de 2009

O Cometa



[...] "Por ver se a dor divirto, vou sentar-me
Na janela da sala e ao ar levanto
Os olhos molhados.
Céus, que vejo!
Não vejo estrelas que, serenas, brilhem,
Nem vejo a lua que prateia os mares:
Vejo um grande cometa, a quem os doutos "Caudato" apelidaram.
Este cobre
A terra todo c'o disforme rabo.
Aflito o coração no peito bate,
Eriça-se o cabelo, as pernas tremem,
O sangue congela e todo corpo
Se cobre de suor - tal foi o medo". [...]

- Cartas Chilenas - Tomás Antônio Gonzaga