segunda-feira, 14 de maio de 2018

Eu, minha mãe e as baratas


Eu não sou muito fã de assistir novelas, mas minha mãe e, muitas vezes meu pai também, sentam para acompanhar. Eu assisto raramente pra ter algum momento com minha mãe.

Fui ao teatro no dia do final da novela, mas ia reprisar no dia seguinte. Lá fui eu assistir. A um certo momento, já estava impaciente:

- O que vai acontecer depois disso? Não tou aguentando mais.

A verdade verdadeira é que eu queria estudar, fazer algo de útil. Ter o dia mais produtivo da semana.

- Que impaciência é essa? Tá com pressa para lavar os pratos é?

Bom, aí eu caí na gargalhada. Eu ter pressa de lavar pratos? Nunca!

Não foram exatamente com essas palavras. Na verdade foi mais engraçado que isso. Mas é que minha memória é fraca e nunca consigo lembrar das palavras exatas. É por isso que, como jornalista, carrego um gravador de áudio.

A minha mãe não faz esforço nenhum pra ser engraçada. Ela pode ser insuportável às vezes, mas isso não se escreve no dia das mães. O negócio é que minha mãe já foi perseguida por uma barata. Isso mesmo. Enquanto ela corria desesperada, de braços pro alto, a barata corria atrás dela. Eu ficaria tão desesperada quanto. E realmente fiquei!

Uma vez eu estava fugindo de uma pisa da minha mãe. Corri a casa inteira, e ela com um cinto na mão, preparada pra me corrigir. O motivo, eu jamais vou lembrar. A questão é que eu estava fugindo da pisa e corri até o banheiro da área de serviço pra me esconder lá. Eu estava disposta a passar a noite até ela desistir de me dar uma surra. Mas infelizmente ela chegou antes de eu conseguir trancar a porta. Enquanto eu empurrava a porta para trancar, ela empurrava para abrir. A porta, meus amigos, não aguentou e simplesmente foi arrancada por inteiro. O desespero era tão grande, que encontrei forças onde não tinha. Fui “salva” por milhares de baratas que estavam por dentro da porta. Ninguém imaginava aquilo. Foi uma cena horripilante. Digna de filme de horror. Eu fiquei ainda mais desesperada. Meu coração batia ainda mais acelerado. Eu tenho horror à barata. Mas naquele dia eu não apanhei da minha mãe. Nesse dia, nós duas corremos juntas, unidas, fugindo das baratas. Nem ela sabia mais por quê ia me bater.

Sim, eu aprontava muito. Apanhei da minha mãe várias vezes. Estou viva. Não lembro exatamente dos motivos das pisas de havaianas, cinto e das suas próprias mãos, mas acho que deu resultado.

Feliz dia das mães.

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Trechos do livro Radical Chique e o Terror dos RPs - Tom Wolfe


As Panteras do sexo feminino ... são tão esbeltas, tão graciosas, como dizem, de calças justas e toucados iorubas, quase turbantes, como se tivessem saído das páginas da Vogue, embora não haja dúvida que foi a Vogue quem as copiou. 11

Em todo caso, eles têm uma criadagem composta de três sul-americanos brancos, inclusive um cozinheiro chileno, além do chofer e camareiro inglês de Lenny, que também é branco, é claro. Você consegue perceber a perfeição do esquema, dados... os tempos que correm? 12

...os empregados não são uma mera conveniência, são uma absoluta necessidade psicológica [...]. Fizemos parecer que é uma questão de conveniência, quando na verdade é uma questão pura e fundamental de – ter empregados. Compreendeu? 13

Outra fonte de publicidade era a ajuda aos pobres. As novas damas da sociedade nova-iorquina, em qualquer época, sempre pagaram “aos pobres” o que lhes era devido, pela via da caridade, como uma forma de resgatar a nobreza inerente à noblesse oblige e legitimar a própria riqueza. 34

A citação mais memorável foi: “Ele é um homem magnífico, mas suponha que alguns panacas pobres de espírito levem a sério aquela história de queimar edifícios.” 49

O Radical Chique é radical somente no estilo; no cerne faz parte da Sociedade e de suas tradições. 77

“Não é fácil distinguir uma filosofia política coerente entre os Panteras Negras, mas é razoavelmente claro que eles estão defendendo a violência contra seus concidadãos, a queda de Israel, o apoio ao Al Fatah e outros objetivos igualmente perigosos e inconcebíveis. Sou decididamente contrário a todas essas ideias e as combaterei com todas as minhas forças.” Lenny 78

Havia um gênio na arte do confronto que transformou o mau-mau-ísmo naquilo que se poderia chamar de ciência experimental. 83

Quando todo mundo começou a usar penteados afro, foi duro para muitos homens maduros que estavam perdendo o cabelo. Mesmo assim deixavam-no crescer dos lados e acabavam parecendo aquele super-Pai Tomás da caixa de arroz Uncle Bem, ou o palhaço Bozo. 85

No final de 1968 havia oitenta e sete grupos diferentes começando a militar e a adotar o mau-mau. 88

Se conseguisse fazer o RP perder o controle dos músculos em torno da boca, se conseguisse fazer o medo aflorar em seu rosto, o pedido de emprego era aprovado. 103

A ideia era aterrorizar, mas sem tocar em ninguém. O termo mau-mau-izar em si expressava essa qualidade lúdica. Expressava o lado fingido da coisa. 103



*Mau mau: membro de uma sociedade terrorista revolucionária queniana que exigia a eliminação dos colonos europeus e a restauração do controle dos nativos africanos.

Projeto #10em2018

Este é um projeto ou um desafio que pode ser realizado durante o ano de 2018.

O desafio não tem regras, mas para ficar interessante, vou estar utilizando a hashtag #10em2018 nas redes sociais (youtube, twitter, facebook, instagram). Quem aderir ao projeto, sugiro que compartilhe também nessas redes sociais.

No final, quem sabe eu não faça uma retrospectiva de todos esses desafios cumpridos no final do ano de 2018?

  • Mande uma carta ou cartão postal para alguém
  • Faça algo com as suas próprias mãos
  • Recicle
  • Plante uma semente
  • Tire uma foto still life
  • Alimente ou hidrate algum animal de rua
  • Faça uma lista com, no máximo, 10 tópicos
  • Dê um livro embrulhado de presente para alguém
  • Pinte um quadro
  • Esqueça um livro em algum lugar público
Está aí todos os itens da lista. Mãos à obra ;)

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Trechos do livro Yin Yang de Christopher Markert


...você anseia por coisas que são muito significativas para a sua felicidade. Você tenta impressionar os outros porque desacredita secretamente de si mesmo. 17

Uma parte dos ensinamentos se refere a treinamentos corporais e é chamada de hataioga, o que significa algo como “união do Sol e da Lua”. O Sol simboliza o lado consciente e espiritual da natureza humana, enquanto a Lua representa o lado corporal inconsciente. 22

Os biólogos sabem que todos os cromossomos são constituídos de componentes masculinos e femininos, e que este fato também se dá em todos os seres vivos mais elevados, inclusive os humanos. Os homens podem ser considerados como organismos másculo-femininos orientados para fora, e as mulheres aparecem correspondentemente como organismos fêmeo-masculinos orientados para dentro. 27

Deparamo-nos com inúmeros “neuróticos de sucesso” em sociedades orientadas ao exterior (yang) como a nossa, ao passo que em sociedades orientadas ao interior (ying), como a da Índia, a maioria das pessoas podem ser descritas como “fracassados felizes”. 34

A mãe é para a criança o que o brilho do sol é para a planta. Crianças que não têm mãe sofrem geralmente da sensação de solidão e de insuficiência; não podem produzir o que delas se espera, pois falta-lhes o amor e o carinho do lar. 51

Um jardineiro descobriu que uma de suas árvores havia sido atingida por uma doença. As folhas tinham manchas de parasitas. Trataria as folhas com uma escova ou com um remédio contra insetos? Não, ele era suficientemente inteligente para enfrentar o problema pela raiz. Em vez de deixar-se levar por sintomas superficiais, ele regou a árvore com água do riacho, rica em minerais. Depois que as raízes absorveram a água, a árvore curou-se desde as suas bases e as manchas e parasitas desapareceram das folhagens. A moral da história é que as pessoas doentes e infelizes não podem ser ajudadas com métodos intelectuais superficiais. Em vez disso, precisam aprender a retomar o contato com o “eu interior”, com as origens da alma. Na base de toda a vida reside o ser, que se expressa como inteligência invisível, desconhecida e criativa. Este ser não pode ser descrito por palavras, ou analisado pelo intelecto, porém pode ser vivenciado pela meditação. 67

Apesar de ser sempre uma experiência agradável, a meditação nunca é encarada como uma meta em si. Medita-se para influenciar beneficamente todos os aspectos do cotidiano. [benefícios] 69

“O médico pode tratar de uma doença, porém só a natureza pode curar”  Hipócrates

...devemos ter os pés na terra antes de pretendermos alcançar algo nessa esfera mais elevada. Precisamos estar firmemente enraizados nas realidades terrenas, antes que os nossos esforços possam dar frutos sadios. 78

Elas não têm mais coragem de ser autênticas ou de confiar em seus próprios sentidos, elas já não raciocinam por si mesmas, nem contam as próprias experiências. Deixaram-se levar pela sociedade a desempenhar papéis forçados, adotar as convicções de outros e adaptar-se à opinião geral. Acostumaram-se às noções cômodas, porém falsas.  79

Drogas como álcool, maconha, haxixe, LSD e ópio têm uma coisa em comum: trazem à tona as características yin das pessoas. Os tensos as utilizam para relaxar e para superar as suas limitações. Outros tomam drogas para afastar a sensação de solidão e par sair de sua redoma espiritual. Algumas pessoas consideram as drogas úteis para encontrarem a si mesmas e para escaparem das obrigações sociais. 79

Outros pensadores enfatizaram que conhecemos apenas a impressão que temos das coisas, porém nunca as coisas em si. Havelock Ellis afirmou em The dance of life (A dança da vida), que o mundo que vemos é um sistema de impressões, um símbolo com ajuda do qual nos orientamos. A tarefa da ciência é tornar o símbolo tão útil quanto possível. Porém, em última instância, o nosso mundo permanece um símbolo que utilizamos por motivos práticos e que serve a uma outra meta. Todo raciocínio é apenas uma comparação... Cada um vive no próprio universo e constrói as suas próprias idéias, e também estas se transformam continuamente... 103

Encontram-se esculturas de deusas pré-históricas em todas as partes da Europa e da Ásia. A deusa principal na Suméria era conhecida como Nana, no Egito como Ísis, na Babilônia como Itar, na Índia tinha diversos nomes, assim com Devi, Kali, Shakti, etc., e na Cananéia bíblica era Astartéia. A maioria dos templos era administrados por sacerdotisas matrilineares sobreviveram até a Idade do Bronze e são mencionadas em livros como a Bíblia. 106

Os conflitos interiores entre forças yin e yang que os permeiam fazem-nos quase sempre sentir-se, não como pessoas humanas, e sim como senhores ou escravos. 131

Tudo aquilo que, durante o dia, se ignora ou reprime, no plano consciente, aparece em forma de símbolo durante o sono, enquanto o guardião (o consciente) dorme. 163

Aquele que deseja permanecer espiritualmente em forma, precisa também manter o corpo em forma, e vice-versa. Quando uma parte sofre, a outra também sofrerá. 165

É preciso que se saiba retroceder e cair antes de poder obter verdadeiro sucesso no ataque. 170

Uma condição de total e eterno equilíbrio não é possível, nem vale a pena tê-la como meta. O equilíbrio dinâmico contribui para a saúde espiritual e física e, em geral, é possível ser alcançado. 192

Um espírito equilibrado a qualidade passo a passo rumo a metas sensatas, cuja realização é possível e provável – e, de vez em quando, adapta o seu ideal à realidade. 209